Termos e Condições

Índice

Artigo 1º - Definições
Artigo 2º - Identidade do empresário
Artigo 3º - Aplicabilidade
Artigo 4º – A oferta
Artigo 5º - O contrato
Artigo 6º - Direito de rescisão
Artigo 7º - Obrigações do consumidor durante o período de reflexão
Artigo 8º – Artigo 8º – Exercício do direito de rescisão pelo consumidor, e respetivas custas
Artigo 9º – Artigo 9º – Obrigações do empresário em caso de desistência
Artigo 10 – Exclusão do direito de retirada
Artigo 11 – O preço
Artigo 12 - Conformidade e garantia adicional
Artigo 13 - Entrega e implementação
Artigo 14º – Transações alargadas: duração, cessação e prorrogação
Artigo 15 – Pagamento
Artigo 16º - Procedimento de reclamação
Artigo 17 - Disputas
Artigo 18º - Disposições adicionais ou divergentes

Artigo 1º - Definições

Nestas condições, os seguintes termos são definidos conforme indicado abaixo:

  1. Contrato adicional: um contrato pelo qual o consumidor adquire produtos, conteúdo digital e/ou serviços em conexão com um contrato à distância e esses itens, conteúdo digital e/ou serviços são entregues pelo empresário ou por um terceiro com base em um contrato entre esse terceiro partido e o empresário;
  2. Período de resfriamento: o prazo dentro do qual o consumidor pode fazer uso do seu direito de rescisão;
  3. Consumidor: a pessoa singular que não atue para fins relacionados com a sua atividade comercial, empresarial, artesanal ou profissional;
  4. Dia: dia do calendário;
  5. Conteúdo digital: dados que são produzidos e entregues em formato digital;
  6. Contrato de longo termo: um contrato que preveja a entrega regular de itens, serviços e/ou conteúdo digital durante um período específico;
  7. Meio durável: qualquer ferramenta – incluindo o e-mail – que permita ao consumidor ou empresário armazenar informação que lhe é dirigida pessoalmente de forma a permitir a sua consulta ou utilização futura durante um período adequado ao fim a que a informação se destina, e que permita a reprodução inalterada das informações armazenadas;
  8. Direito de retirada: a possibilidade de o consumidor rescindir o contrato à distância dentro do período de reflexão;
  9. Empreendedor: a pessoa física ou jurídica que é membro de Thuiswinkel.org e oferece produtos, (acesso a) conteúdo digital e/ou serviços a consumidores à distância;
  10. Contrato à distância: um contrato celebrado entre o empresário e o consumidor no âmbito de um sistema organizado de venda à distância de produtos, conteúdos digitais e/ou serviços pelo qual, até à celebração do contrato, é feito uso exclusivo ou parcial de uma ou mais técnicas de comunicação à distância;
  11. Formulário de retirada do modelo: o formulário de retirada modelo europeu incluído no Anexo I destas condições; O Anexo I não precisa ser disponibilizado se o consumidor não tiver direito de rescisão em relação ao seu pedido;
  12. Técnica para comunicar à distância: recurso que pode ser utilizado para a celebração de um contrato sem que o consumidor e o empresário tenham que se reunir ao mesmo tempo no mesmo espaço.

Artigo 2º - Identidade do empresário

Nome do empresário: Toy group BV

Atuando sob o nome/nome:

Nooxion Europe BV

Endereço do local:

Om de kamp 17, 7964KT Ansen Holanda

Acessibilidade:

De segunda a sábado das 09h00 às 17h00

E-mail: info[at]furybear.eu

Número da Câmara de Comércio: 24410647

Número do IVA: NL817708480B02

Artigo 3º - Aplicabilidade

  1. Estes termos e condições são aplicáveis a todas as ofertas do empresário e a todos os contratos à distância entre o empresário e o consumidor.
  2. O texto destes termos e condições será disponibilizado ao consumidor antes da celebração do contrato à distância. Se tal não for razoavelmente possível, o empresário indicará, antes da celebração do contrato à distância, a forma como os termos e condições podem ser consultados junto do empresário e que podem ser enviados com a maior brevidade possível, gratuitamente, em pedido do consumidor.
  3. Caso o contrato à distância seja celebrado por via eletrónica, pode acontecer que, em divergência com o número anterior e antes da celebração do contrato à distância, o texto destes termos e condições possa ser disponibilizado ao consumidor por via eletrónica de tal forma que pode ser armazenado pelo consumidor de maneira simples em um suporte durável. Se tal não for razoavelmente possível então, antes da celebração do contrato à distância, será indicado onde os termos e condições podem ser consultados por via eletrónica e que serão enviados por via eletrónica ou de outra forma, gratuitamente, à disposição do consumidor solicitar.
  4. No caso de, para além destes termos e condições, também se aplicarem condições específicas de produtos ou serviços, aplicam-se mutatis mutandis o primeiro e o segundo parágrafos, e em caso de condições conflitantes o consumidor pode sempre invocar a condição aplicável que seja mais favorável ao eles.

Artigo 4º – A oferta

  1. Se uma oferta estiver sujeita a uma duração limitada ou sujeita a condições, isso será explicitamente indicado na oferta.
  2. A oferta incluirá uma descrição completa e detalhada dos produtos oferecidos, conteúdo digital e/ou serviços. A descrição será suficientemente detalhada para permitir uma boa avaliação da oferta pelo consumidor. Caso o empreendedor faça uso de imagens, estas serão uma representação fiel dos produtos, conteúdos digitais e/ou serviços oferecidos. Descuidos manifestos ou erros manifestos na oferta não serão vinculativos para o empreendedor.
  3. Cada oferta incluirá tal informação que ficará claro para o consumidor quais direitos e obrigações estão relacionados com a aceitação da oferta.

Artigo 5º - O contrato

  1. O contrato fica sujeito ao disposto no n.º 4, no momento em que o consumidor aceitar a oferta e cumprir as condições correspondentes.
  2. Caso o consumidor tenha aceitado a oferta por meio eletrônico, o empreendedor confirmará imediatamente por meio eletrônico o recebimento da aceitação da oferta. O consumidor pode rescindir o contrato enquanto o recebimento desta aceitação não for confirmado pelo empresário.
  3. Se o contrato for celebrado eletronicamente, o empresário tomará as medidas técnicas e organizacionais adequadas para garantir a transferência eletrônica de dados e garantirá um ambiente web seguro. Se o consumidor puder pagar eletronicamente, o empresário observará as medidas de segurança adequadas para esse fim.
  4. O empresário pode, dentro das disposições legais, investigar se o consumidor pode cumprir suas obrigações de pagamento, bem como investigar todos os fatos e fatores que sejam importantes para a celebração do contrato à distância com responsabilidade. Se, com base nesta investigação, o empresário tiver fundamentos para não celebrar o contrato, tem o direito de recusar uma encomenda ou pedido, fundamentando os motivos, ou anexar condições especiais à execução.
  5. O empresário enviará ao consumidor, o mais tardar na entrega do produto, serviço ou conteúdo digital, por escrito ou de forma que possa ser armazenado pelo consumidor de forma acessível em suporte duradouro, os seguintes em formação:
    1. o endereço de visita do estabelecimento do empresário onde o consumidor pode encaminhar reclamações;
    2. as condições e a forma como o consumidor pode fazer uso do direito de rescisão, ou uma declaração clara sobre a exclusão do direito de rescisão;
    3. as informações sobre garantias e serviços existentes após a compra;
    4. o preço, incluindo todos os impostos, do produto, serviço ou conteúdo digital; os custos de entrega, na medida do aplicável; e a forma de pagamento, entrega ou execução do contrato à distância;
    5. os requisitos de rescisão do contrato se o contrato tiver duração superior a um ano ou for por tempo indeterminado;
    6. se o consumidor tiver direito de rescisão, o modelo de formulário de rescisão.
  6. No caso de uma transação estendida, o disposto no parágrafo anterior aplica-se apenas à primeira entrega.

Artigo 6º - Direito de rescisão

No caso de produtos:

  1. O consumidor pode rescindir um contrato de compra de um produto durante um período de reflexão de, no mínimo, 30 dias, sem fundamentação. O empresário pode perguntar ao consumidor sobre o motivo da desistência, mas não obriga o consumidor a indicar o(s) motivo(s).
  2. O período de reflexão referido no n.º 1 inicia-se no dia seguinte ao recebimento do produto pelo consumidor, ou por terceiro previamente designado pelo consumidor, que não seja o transportador, ou:
    1. se o consumidor tiver encomendado vários produtos no mesmo pedido: o dia em que o consumidor, ou um terceiro por ele designado, recebeu o último produto. O empresário pode, desde que tenha informado o consumidor de forma clara antes do processo de encomenda, recusar uma encomenda de vários produtos com prazos de entrega diferentes.
    2. se a entrega de um produto consistir em diferentes remessas ou componentes: o dia em que o consumidor, ou um terceiro por ele designado, recebeu a última remessa ou o último componente;
    3. no caso de contratos de entrega regular de produtos durante um determinado período: o dia em que o consumidor, ou um terceiro por ele designado, recebeu o primeiro produto.

    No caso de serviços e conteúdos digitais que não sejam entregues em suporte material:

  3. O consumidor pode rescindir um contrato de serviço e um contrato de entrega de conteúdo digital que não seja entregue em suporte de material durante um período mínimo de 30 dias, sem fundamentação. O empresário pode perguntar ao consumidor sobre o motivo da desistência, mas não obriga o consumidor a indicar o(s) motivo(s).
  4. O período de reflexão referido no n.º 3 começa no dia seguinte à celebração do contrato.Período de reflexão alargado para produtos, serviços e conteúdos digitais que não sejam entregues num transportador de material em caso de não notificação do direito de resolução:
  5. Se o empresário não tiver fornecido as informações legalmente exigidas sobre o direito de rescisão ou o modelo de formulário de rescisão, o prazo de reflexão expira doze meses após o término do período de reflexão original estabelecido de acordo com os parágrafos anteriores deste artigo.
  6. Se o empresário tiver fornecido ao consumidor a informação referida no número anterior deste artigo no prazo de doze meses a contar da data de início do período de reflexão original, o prazo de reflexão expira 30 dias após o dia em que o consumidor tiver recebido esta em formação.

Artigo 7º - Obrigações do consumidor durante o período de reflexão

  1. Durante o período de resfriamento, o consumidor manuseará o produto e a embalagem com cuidado. Eles apenas desembalarão ou usarão o produto na medida necessária para estabelecer a natureza, as características e a operação do produto. O princípio básico disso é que o consumidor só pode utilizar e inspecionar o produto como seria permitido em uma loja.
  2. O consumidor só é responsável pela depreciação do produto que resulte de uma forma de lidar com o produto que ultrapasse o permitido no n.º 1.
  3. O consumidor não é responsável pela depreciação do produto se o empresário não tiver fornecido ao consumidor todas as informações legalmente exigidas sobre o direito de rescisão antes ou no momento da celebração do contrato.

Artigo 8º - Exercício do direito de rescisão pelo consumidor e respectivas despesas

  1. Se o consumidor fizer uso do seu direito de rescisão, ele notificará o empresário dentro do prazo de reflexão por meio do modelo de formulário de rescisão ou de outra forma inequívoca.
  2. Assim que possível, mas no prazo de 14 dias a contar do dia seguinte à notificação referida no n.º 1, o consumidor devolverá o produto ou o entregará (a um representante autorizado do) empresário. Isso não é necessário se o empresário se ofereceu para coletar o produto por conta própria. Considera-se que o consumidor aderiu ao período de reflexão se devolver o produto antes do termo do período de reflexão.
  3. O consumidor devolverá o produto com todos os acessórios fornecidos, se possível na condição e embalagem originais e de acordo com as instruções razoáveis e claras emitidas pelo empresário.
  4. O risco e o ônus da prova para o exercício correto e oportuno do direito de rescisão são do consumidor.
  5. O consumidor arcará com os custos diretos da devolução do produto. Se o empresário não tiver declarado que o consumidor deve arcar com esses custos, ou se o empresário indicar que arcará com os custos, o consumidor não precisa arcar com os custos de devolução.
  6. Se o consumidor desistir depois de ter solicitado expressamente que a execução do serviço ou o fornecimento de gás, água ou eletricidade que não tenham sido disponibilizados para venda em volume limitado ou quantidade específica tenha início durante o período de reflexão, o consumidor é obrigado a pagar ao empresário uma quantia proporcional à parte da obrigação que tenha sido cumprida pelo empresário no momento da rescisão, em comparação com o cumprimento integral da obrigação.
  7. O consumidor não arcará com quaisquer custos pela execução dos serviços ou pelo fornecimento, se:
    1. o empresário não forneceu ao consumidor as informações legalmente exigidas sobre o direito de rescisão, o reembolso dos custos em caso de rescisão ou o modelo de formulário de rescisão, ou;
    2. o consumidor não solicitou expressamente o início da execução do serviço durante o período de reflexão.
  8. O consumidor não arcará com quaisquer custos pela entrega total ou parcial de conteúdo digital que não seja entregue em uma transportadora de material se:
    1. não deram o seu consentimento prévio e expresso para o início da execução do contrato antes do final do período de reflexão;
    2. não reconheceram que perdem o direito de retirada ao dar seu consentimento; ou
    3. o empresário se omitiu de confirmar esta afirmação do consumidor.
  9. Se o consumidor fizer uso do seu direito de rescisão, todos os contratos acessórios são rescindidos de pleno direito.

Artigo 9º - Obrigações do empresário em caso de desistência

  1. Se o empresário habilitar a notificação de desistência pelo consumidor por meio eletrônico, ele enviará uma confirmação de recebimento sem demora após o recebimento desta notificação.
  2. O empresário reembolsará todos os pagamentos feitos pelo consumidor, incluindo quaisquer custos de entrega cobrados pelo empresário pelo produto devolvido, sem demora, mas em qualquer caso dentro de 14 dias após o dia em que o consumidor o notificar da retirada. A menos que o próprio empresário se ofereça para recolher o produto, pode atrasar o reembolso até que tenha recebido o produto ou até que o consumidor demonstre que devolveu o produto, consoante a antecedência.
  3. O empreendedor usará o mesmo método de pagamento para reembolso que o consumidor usou, a menos que o consumidor concorde com outro método. O reembolso é gratuito para o consumidor.
  4. Se o consumidor escolheu um método de entrega mais caro do que a entrega padrão mais barata, o empresário não precisa reembolsar os custos adicionais do método mais caro.

Artigo 10 – Exclusão do direito de retirada

O empresário pode excluir do direito de rescisão os seguintes produtos e serviços, mas somente se o empresário o tiver declarado claramente com a oferta ou em tempo hábil antes da celebração do contrato:

  1. Produtos ou serviços cujo preço esteja vinculado a flutuações do mercado financeiro sobre os quais o empresário não tenha influência e que possam surgir dentro do prazo de rescisão.
  2. Contratos celebrados em leilão público. O leilão público é definido como um método de venda pelo qual produtos, conteúdos digitais e/ou serviços são oferecidos pelo empreendedor ao consumidor que está presente pessoalmente ou tem a oportunidade de estar presente pessoalmente no leilão, sob a direção do um leiloeiro, e pelo qual o licitante vencedor é obrigado a adquirir os produtos, conteúdos digitais e/ou serviços.
  3. Contratos de serviço, após a plena execução do serviço, mas apenas se:
    1. a execução foi iniciada com o consentimento prévio expresso do consumidor;

    e

    1. o consumidor declarou que perde o direito de rescisão uma vez que o empresário tenha implementado integralmente o contrato;
  4. Contratos de prestação de serviços para a prestação de alojamento, se no contrato estiver prevista uma data ou período de execução específicos e que não sejam para fins residenciais, transporte de mercadorias, serviços de aluguer de viaturas e restauração;
  5. Contratos relacionados com atividades de lazer, se uma data ou período específico de execução estiver previsto no contrato;
  6. Produtos fabricados de acordo com as especificações do consumidor, que não sejam pré-fabricados e que sejam fabricados com base na escolha ou decisão individual do consumidor, ou que sejam claramente destinados a uma pessoa específica;
  7. Produtos que perecem rapidamente ou têm uma vida útil limitada;
  8. Produtos lacrados que por motivos de proteção à saúde ou higiene não sejam aptos a serem devolvidos e cujo lacre seja rompido após a entrega;
  9. Produtos que após a entrega, pela sua natureza, se misturam irreversivelmente com outros produtos;
  10. Bebidas alcoólicas cujo preço é acordado na celebração do contrato, mas cuja entrega só pode ocorrer após 30 dias, e cujo valor real depende de flutuações do mercado sobre as quais o empresário não tem influência;
  11. Gravações de áudio lacradas, gravações de vídeo e software de computador cujo lacre seja rompido após a entrega;
  12. Jornais, periódicos ou revistas, com exceção das assinaturas destes;
  13. Após a entrega de conteúdo digital que não seja em um suporte de material, mas somente se:
    1. a execução foi iniciada com o consentimento prévio expresso do consumidor;

    e

    1. o consumidor declarou que perde o direito de rescisão uma vez que o empresário tenha implementado integralmente o contrato;

Artigo 11 – O preço

  1. Os preços dos produtos e/ou serviços oferecidos não podem ser aumentados durante o período de validade indicado na oferta, exceto para alterações de preços resultantes de alterações nas taxas de IVA.
  2. Em divergência do parágrafo anterior, o empresário pode oferecer produtos ou serviços, cujos preços estejam vinculados a oscilações do mercado financeiro sobre as quais o empresário não tenha influência, a preços variáveis. Esta ligação às flutuações e o facto de quaisquer preços indicados serem preços de orientação serão indicados na oferta.
  3. Os aumentos de preços no prazo de 3 meses após a celebração do contrato só são permitidos se resultarem de regulamentos ou disposições legais.
  4. Os aumentos de preços a partir de 3 meses após a celebração do contrato só são permitidos se o empresário o tiver estipulado e:
    1. estes são o resultado de regulamentos ou disposições estatutárias; ou
    2. o consumidor tem o poder de rescindir o contrato com efeitos a partir do dia em que o aumento de preço entrar em vigor;
  5. Os preços indicados na oferta de produtos ou serviços incluem IVA.

Artigo 12º - Cumprimento do contrato e garantia adicional

  1. O empreendedor garante que os produtos e/ou serviços estão em conformidade com o contrato, as especificações constantes da oferta, os padrões razoáveis de solidez e/ou utilidade e as disposições legais e/ou prescrições governamentais existentes na data da celebração do contrato em. Se acordado, o empresário também garante que o produto é adequado para uso diferente do normal.
  2. Uma garantia adicional fornecida pelo empresário, seu fornecedor, fabricante ou importador nunca limitará os direitos e reivindicações previstos em lei que o consumidor pode opor contra o empresário nos termos do contrato se o empresário for omisso no cumprimento de sua parte o contrato.
  3. Uma garantia adicional é definida como qualquer compromisso do empresário, seu fornecedor, importador ou fabricante em que direitos ou reivindicações particulares são concedidos ao consumidor que vão além daqueles aos quais o empresário, seu fornecedor, importador ou fabricante estão vinculados lei no caso de serem omissos no cumprimento de sua parte do contrato.

Artigo 13 - Entrega e implementação

  1. O empresário observará o maior cuidado possível na recepção e execução de pedidos de produtos e na avaliação dos pedidos de prestação de serviços.
  2. O endereço indicado pelo consumidor ao empresário é considerado o local de entrega.
  3. Em cumprimento do disposto a este respeito no artigo 4.º destes termos e condições, o empresário realizará as encomendas aceites com a devida rapidez, mas em qualquer caso no prazo de 30 dias, a menos que seja acordado outro prazo de entrega. Se a entrega estiver atrasada, ou se uma encomenda não puder ser ou puder ser realizada apenas parcialmente, o consumidor será informado disso o mais tardar 30 dias após ter feito a encomenda. Nesse caso, o consumidor tem o direito de rescindir o contrato gratuitamente e, eventualmente, com reparação dos danos sofridos.
  4. Após a rescisão de acordo com o parágrafo anterior, o empresário reembolsará o valor que o consumidor pagou sem demora.
  5. O risco de danos e/ou extravio dos produtos é do empresário até ao momento da entrega ao consumidor ou a um representante previamente designado e comunicado ao empresário, salvo acordo expresso em contrário.

Artigo 14º – Transações alargadas: duração, cessação e prorrogação

Terminação

  1. O consumidor pode sempre rescindir um contrato celebrado por tempo indeterminado e que se destine à entrega regular de produtos (incluindo eletricidade) ou serviços de acordo com as regras de rescisão acordadas e um prazo de pré-aviso não superior a um mês.
  2. O consumidor pode sempre rescindir um contrato celebrado por prazo determinado e que se destine à entrega regular de produtos (incluindo eletricidade) ou serviços no final do prazo determinado com observância das normas de resolução acordadas para o efeito e um período de pré-aviso de, no máximo, um mês.
  3. O consumidor pode:
    1. rescindir os contratos mencionados no parágrafo anterior a qualquer momento, e não se limitar à rescisão em um determinado momento ou em um determinado período;
    2. pelo menos rescindir os contratos mencionados no parágrafo anterior da mesma forma como foram celebrados;
    3. sempre rescindir os contratos mencionados no parágrafo anterior com o mesmo prazo de pré-aviso que o empresário estipulou para si.

    Extensão

  4. Um contrato que seja celebrado por um período determinado e seja para fins de entrega regular de produtos (incluindo eletricidade) ou serviços não pode ser prorrogado ou renovado automaticamente por um período definido.
  5. Em desacordo com o número anterior, o contrato celebrado por tempo determinado e que se destine à entrega regular de jornais e revistas diários e semanais pode ser prorrogado por um período determinado de, no máximo, três meses, se o consumidor puder rescindir este contrato prorrogado no final da prorrogação com um período de pré-aviso de no máximo um mês.
  6. Um contrato celebrado por tempo determinado e que se destine à entrega regular de produtos ou serviços só pode ser automaticamente prorrogado por um período determinado se o consumidor puder rescindir o contrato a qualquer momento com observância de um pré-aviso não superior a três meses no caso de o contrato se destinar à entrega regular, mas inferior a uma vez por mês, de jornais e revistas diários ou semanais.
  7. Um contrato por um período limitado que seja para fins de entrega regular de jornais e periódicos diários ou semanais (teste ou assinatura introdutória) não terá continuidade automaticamente e termina automaticamente após o término do período experimental ou introdutório.Duração
  8. Se o contrato tiver uma duração superior a um ano, o consumidor pode rescindir o contrato após um ano, a qualquer momento, com um pré-aviso máximo de um mês, salvo se os padrões de razoabilidade e equidade se opuserem à rescisão antes do termo do contrato. duração acordada.

Artigo 15 – Pagamento

  1. Salvo disposição em contrário no contrato ou nas condições complementares, os montantes que o consumidor é obrigado a pagar nos 14 dias seguintes ao início do período de reflexão ou, na falta de período de reflexão, nos 14 dias seguintes à data de vencimento do contrato entrou. No caso de um contrato de prestação de um serviço, este prazo inicia-se no dia seguinte ao recebimento da confirmação do contrato pelo consumidor.
  2. No caso de venda de produtos a consumidores, o consumidor nunca poderá ser obrigado nos termos e condições a um pré-pagamento superior a 50%. Se o pré-pagamento for acordado, o consumidor não poderá reivindicar qualquer direito sobre a execução do pedido ou serviço(s) em questão antes do pré-pagamento estipulado.
  3. O consumidor tem o dever de notificar imediatamente o empresário de imprecisões nos dados de pagamento fornecidos ou notificados.
  4. Se o consumidor não cumprir atempadamente a(s) sua(s) obrigação(ões) de pagamento, ele é responsável, após o pagamento em atraso ter sido indicado pelo empresário e o empresário ter concedido ao consumidor um prazo de 14 dias para cumprir o seu pagamento obrigações, e na falta de pagamento no prazo de 14 dias, pagar a taxa de juro legal sobre o valor que ainda esteja a pagar, ficando o empresário autorizado a cobrar as despesas de cobrança extrajudicial por ele incorridas. Estes custos de cobrança ascenderão a um máximo de: 15% de montantes em dívida até ? 2.500; 10% do subsequente ? 2.500 e 5% dos seguintes? 5.000, com um mínimo de ? 40. O empresário pode divergir dos valores e percentuais declarados em benefício do consumidor.

Artigo 16º - Procedimento de reclamação

  1. O empresário possui um procedimento de reclamações suficientemente divulgado, e tratará a reclamação em conformidade com este procedimento de reclamações.
  2. As reclamações relativas à execução do contrato devem ser apresentadas ao empresário, completa e claramente descritas, dentro de um prazo razoável após o consumidor ter verificado os defeitos.
  3. As reclamações apresentadas ao empreendedor serão respondidas no prazo de 14 dias contados a partir da data de recebimento. Se uma reclamação exigir um tempo de processamento previsivelmente mais longo, o empresário responderá no prazo de 14 dias com uma confirmação de recebimento e uma indicação de quando o consumidor pode esperar uma resposta mais ampla.
  4. Uma reclamação relativa a um produto, serviço ou serviço do empresário também pode ser apresentada através de um formulário de reclamação na página do consumidor.
  5. O consumidor deve, em qualquer caso, conceder ao empresário 4 semanas para resolver a reclamação em consulta mútua. Após este período, surge uma disputa que é acionável no âmbito do procedimento de reclamações.

Artigo 17 - Disputas

  1. Os contratos entre o empresário e o consumidor aos quais se aplicam estes termos e condições são regidos exclusivamente pelas leis da Holanda.

Artigo 18º - Disposições adicionais ou divergentes

Disposições adicionais ou que divergem destes termos e condições não podem prejudicar o consumidor e devem ser estabelecidas por escrito ou de forma que possam ser armazenadas pelo consumidor de forma acessível em suporte durável.

Envio para todo o planeta

Envio no mesmo dia

Devoluções fáceis de 14 dias

14 dias de garantia de devolução do dinheiro

100% Checkout Seguro

PayPal / MasterCard / Visa

pt_PTPortuguese